2020 © SocialIN – Todos os Direitos Reservados
Blog
jul 28
#ParaTodosVerem foto do André, em fundo branco, em close, sorrindo e com braços cruzados no peito. Ele tem cabelos curtos, castanho escuro, cavanhaque e bigode, veste camisa social azul clara.

A importância da Comunicação Interna para a Diversidade e Inclusão

#ParaTodosVerem foto do André, em fundo branco, em close, sorrindo e com braços cruzados no peito. Ele tem cabelos curtos, castanho escuro, cavanhaque e bigode, veste camisa social azul clara.

#ParaTodosVerem foto do André, em fundo branco, em close, sorrindo e com braços cruzados no peito. Ele tem cabelos curtos, castanho escuro, cavanhaque e bigode, veste camisa social azul clara.

*Por André Franco

Mais do que pensar sobre o tema diversidade dentro das empresas, é preciso defender e ter práticas que reforçem esse posicionamento.  Dialogar sobre o tema é muito importante para a sociedade como um todo e também para todas as empresas repensarem suas políticas de inclusão – que devem ir muito além do discurso. É essencial que a diversidade e um ambiente mais inclusivo sejam pensadas para promover a responsabilidade social e de fato trabalhar para mudar as estatísticas.

Para ajudar nesse processo, dentro e fora das empresas, é preciso contar com estratégias de comunicação interna eficientes, que fortaleçam os laços entre os profissionais e a empresa, a cultura de diversidade e trabalhem o senso de pertencimento. A empresa precisa deixar claro o seu posicionamento sobre o tema.

 

Promover a diversidade dentro do ambiente corporativo pode trazer muitos benefícios.  Segundo o relatório “Delivering through diversity“, empresas que apostam em um quadro de funcionários mais diverso, tendem a obter 21% mais lucro quando há diversidade de gênero e 35% mais lucro quando há diversidade racial. Mostrar que a corporação é múltipla e de fato se importa com a pluralidade dos colaboradores, é fundamental para atingir esses resultados. Então, como colocar em prática ações de inclusão dentro das empresas?

A resposta para isso parece simples: o quadro dos colaboradores deve refletir uma sociedade diversificada.

É papel do RH e dos gestores manter e criar políticas de inclusão, que incluem programas de recrutamento, promoção e ascensão desses grupos dentro da empresa.  É importante investir em planos de carreira e em capacitação dos profissionais que foram impactados pela desigualdade estrutural. Além de incluir minorias, é interessante para abrir espaço para pessoas em vulnerabilidade e que tem mais dificuldade na hora de buscar emprego.

Se a questão envolve os gestores, eles também precisam refletir os valores da empresa. Por isso, é válido investir em treinamentos para a liderança identificar quais são as barreiras que impedem um quadro de colaboradores diversificado. A diversidade de uma empresa e a imagem que isso passa impactam também diretamente nos negócios: os consumidores estão preocupados em como as empresas das quais eles consomem produtos e serviços se preocupam com questões sociais e agem nesse sentido.

Do lado da comunicação interna é necessário manter campanhas de conscientização, não apenas em datas especiais, mas como pauta constante, que faça parte da cultura da empresa. Dialogar sobre o preconceito e inclusão é válido para abrir novos olhares e atitudes sobre o tema. Além de ações com palestras, rodas de conversas (mesmo online, como em grupos nos aplicativos de comunicação interna da empresa ou em vídeos conferências sobre o tema) e campanhas, é preciso ter uma política clara com regras internas que condenem qualquer prática intolerante dentro do ambiente corporativo e dê voz para as minorias.

Entre as principais práticas que podem ser tomadas pelas equipes estão: rever o processo de contratação, investir em treinamentos, campanhas de conscientização e planos de carreira, desenvolver políticas anti-intolerância e buscar conhecer a realidade dessas pessoas, através de ONG’s e serviços sociais.

A Dialog.ci apoia toda a diversidade e ajuda empresas a se tornarem ainda mais inclusivas, por meio de canais internos participativos e inclusivos. Com a ferramenta de comunicação interna e RH, é possível investir em campanhas de conscientização, atingindo 100% dos colaboradores, e também trabalhar a diversidade transmitindo mensagens-chave a partir das lideranças e porta-vozes.

 

*André Franco é CEO do Dialog.ci, startup responsável por desenvolver uma plataforma online de comunicação interna e RH para melhorar o engajamento dentro das empresas

 

About The Author

Skip to content